Como os pais podem contribuir (sem influenciar) na escolha profissional dos filhos

Decidir qual vestibular prestar é uma tarefa complexa para os jovens, mas também para os pais deles. Muitos querem ajudar, mas não sabem por onde começar, enquanto outros não querem atrapalhar ou influenciar a escolha dos filhos.

O educador e especialista em orientação profissional Maurício Sampaio afirma que essa insegurança por parte dos pais é normal. Autor do livro “Influência Positiva – Pais & Filhos: construindo um futuro de sucesso”, ele explica que a vontade de querer ajudar, ainda sem saber exatamente como, já é algo muito saudável no cenário atual.

“Isso porque o que vemos hoje são muitos pais que priorizam outros afazeres e não dedicam o tempo adequado para seus filhos. Com isso, perdem a oportunidade de fazer uma grande diferença na vida dos jovens”, afirma.

“Já os pais que têm disponibilidade e vontade de colaborar, ainda que não saibam como, podem, sim, participar sem interferir na escolha dos filhos”, completa o educador.

Sampaio desenvolveu um método exclusivo para que os pais ajudem nesse processo.

Confira 4 passos a seguir:

1) Ajude seu filho a desenvolver o autoconhecimento: o início do sucesso da grande maioria dos profissionais está no autoconhecimento. Ninguém é capaz de chegar longe em sua profissão, carreira ou na própria vida pessoal se não souber com quais são seus talentos.

Descobrir um talento é importante não somente para apresentá-lo a outras pessoas ou a alguma empresa, para também para nos sentirmos mais capazes. É uma questão de autoestima.

E os pais podem colaborar através de um bom trabalho de diálogo e observação, até porque nem sempre o adolescente se apega a detalhes que podem ser grandes sinalizadores.

Algumas perguntas que podem ser feitas:

- O que você gosta de ler? Por que isso é importante para você?

- Você admira alguma profissão em particular? O que ela tem de interessante?

- Qual a matéria que você mais gosta? Por que você acredita ter facilidade nesse assunto?

- Você está bem motivado hoje. Qual a razão?

- Estou sentindo que você está muito triste. O que o deixa assim?

2) Realizem pesquisas constantemente: esta talvez seja uma das etapas mais importantes – e mais negligenciadas. Pesquisar pode ajudar muito no processo de decisão, pois traz dados, tendências e resultados.

Os pais podem ajudar os filhos a fazer uma pesquisa mais ampla, planejada e direcionada. Para facilitar, dividam esse levantamento em três pilares de informação e mercado:

a) Mercado de trabalho: analisar os mercados de interesse, a localização, a expansão, e as tendências a médio e longo prazos.

b) Mercado educacional: é importante pesquisar a modalidade em que se enquadra o curso de interesse (bacharelado, licenciatura ou tecnólogo), a grade de horários, o programa de conteúdos, se os professores possuem experiência no ramo de atividade, etc. Outros pontos relevantes são a tradição da instituição e se ela oferece apoio aos formandos para as questões relacionadas à carreira e ao ingresso no mercado de trabalho.

c) Rotina ocupacional: diz respeito ao dia a dia do profissional. Informações como a que horas ele acorda ou vai dormir; quantas horas trabalha por dia, semana, mês; se o trabalho requer muito esforço, etc. Isso é imprescindível no momento da escolha da carreira e a maioria dos jovens peca nesse quesito, acaba se iludindo com aparências.

3) Ajude a planejar e a agir: um sistema de objetivos e metas é muito importante para quem deseja o sucesso, principalmente no caso de um jovem que está terminando o Ensino Médio. E é nessa hora que os pais podem contribuir.

O primeiro passo para ajudar o filho é incentivá-lo a construir objetivos. Sente-se com seu filho e pegue uma folha de papel. Peça a ela que liste tudo o que deseja, sem julgamento.

O segundo passo é ajudá-lo a desenvolver um sistema de metas, que seja possível de ser medido. Um dos mais conhecidos é o SMART: Specific (Específica), Measurable (Mensurável), Attainable (Atingível), Relevant (Relevante) e Time-bound (Temporizável).

E o terceiro passo é verificar se a escola está contribuindo com a organização e a escolha profissional, afinal, ela também exerce um papel importante junto ao aluno.

4) Promova a autoavaliação: avaliar-se constantemente é uma das formas mais eficazes de saber se está no caminho certo. Serve também para descobrir se o planejamento está sendo cumprido e se o que o jovem vem estudando está sendo aprendido.

Com alguns minutos por dia, os pais podem ajudar seus filhos nessa autoanálise. Boas perguntas levam a excelentes reflexões. Perguntar somente se o dia foi legal é muito diferente de perguntar o que o filho aprendeu.

“Seguindo esses quatro passos, certamente os pais contribuirão muito para que seus filhos naveguem com segurança nesse mar de oportunidades que existe”, conclui Maurício Sampaio.

Fonte: Assessoria de imprensa da DSOP.

Acesse, curta e compartilhe

Instituto Noa

Whats: (15)  99129-4846

contato@institutonoa.org.br

Al. Santos, 1165 - São Paulo - SP

Certificado Selo Social 2015
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black YouTube Icon
  • Instagram

© por Instituto Noa. Todos os direitos reservados.