© por Instituto Noa. Todos os direitos reservados.

Acesse, curta e compartilhe

Instituto Noa

Whats: (15)  99129-4846

contato@institutonoa.org.br

Al. Santos, 1165 - São Paulo - SP

Certificado Selo Social 2015
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black YouTube Icon
  • Instagram

Pesquisas apontam relação entre desempenho escolar e salários

Investimentos na Primeira Infância, período que vai da concepção aos seis anos, trazem mais retorno socioeconômico e influenciam diretamente o desempenho escolar

 

O estudo “A Relação entre o Desempenho Escolar e os Salários no Brasil”, realizado pela Fundação Itaú Social, mostra como o aumento de 10% na nota em língua portuguesa é responsável por um salário, em média, 5% maior cinco anos depois que o estudante concluiu a Educação Básica, e uma elevação de 10% na proficiência em matemática origina, em média, um salário 4,6% maior no mesmo período.

 

“O resultado não chega a surpreender, uma vez que a ampliação do acesso à Educação tem sido apontada por diversas pesquisas como um dos principais fatores para redução da desigualdade social no Brasil nas últimas décadas. Mas para que a criança tenha todo o seu potencial desenvolvido, é preciso que os investimentos sejam feitos bem antes da sua entrada no Ensino Básico, já que a habilidades do ser humano, entre elas a capacidade de aprendizagem, começam a se desenvolver na Primeira Infância, período que vai da gestação aos seis anos”, explica Eduardo Queiroz, diretor presidente da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal.

 

O economista James Heckman, Nobel de Economia e professor da Universidade de Chicago, mostrou que investimentos em Primeira Infância são mais eficazes do que em qualquer outra etapa da vida, trazendo maior retorno para o indivíduo e para a sociedade.

 

Ao analisar os investimentos feitos pelo governo na área de educação, que aumentou de 5,1% do PIB em 2007 para 6,4% do PIB em 2012, e comparar com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) a partir de 2007, é possível constatar que houve avanço proporcional apenas nos anos iniciais do Ensino Fundamental.  Nos anos finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio quase não houve variação do índice.  Isso sem contar o investimento social privado.

 

O Programa Perry Preschool, realizados nos EUA, comprovou que programas de atendimento à Primeira Infância resultaram em muitas conquistas advindas de tais cuidados: a aprendizagem na escola foi três vezes maior, aos 40 anos, os salários eram 36% maiores do que daquelas pessoas que não tiveram acesso a esses programas, e para cada dólar investido houve um retorno de até 17 dólares.

 

Portanto, para avançar no ranking de desenvolvimento das nações e diminuir a desigualdade social, o Brasil precisa investir mais em programas voltados para a Primeira Infância.

 

 

Fonte: Fundação Maria Cecília Souto Vidigal

Please reload