© por Instituto Noa. Todos os direitos reservados.

Acesse, curta e compartilhe

Instituto Noa

Whats: (15)  99129-4846

contato@institutonoa.org.br

Al. Santos, 1165 - São Paulo - SP

Certificado Selo Social 2015
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black YouTube Icon
  • Instagram

Pais que viajam: saiba como diminuir a angústia dos filhos

 

Com a atual realidade do mercado brasileiro, a busca pelo crescimento profissional é constante, e se torna muito comum que um dos pais tenha uma vida profissional em que precise se ausentar. O fato de ter que permanecer longe de um filho, especialmente se for pequeno, pode gerar muito sofrimento, tanto para o adulto quanto para a criança. As mães costumam sofrer muita pressão quando são elas que precisam se ausentar, pois culturalmente, é mais esperado que as mães fiquem em casa cuidando de seus filhos do que deleguem esta tarefa a alguém. Portanto, é necessária a colaboração de toda família para que esta ausência não seja vivida com muito sofrimento.

 

A psicóloga Juliana Martins comenta que “as crianças pequenas, especialmente as que têm até seis anos de idade, apresentam comumente medo do abandono dos pais ou de sua perda. Então, é extremamente recomendado que sempre seja reforçado a criança que os pais irão voltar e quanto tempo ficarão longe”. A psicóloga explica que, mesmo sem os filhos terem uma noção de tempo bem organizada, este tipo de orientação diminui sua angústia e constrói um vínculo de confiança com seus pais.

 

A psicóloga dá dicas de como tornar esse processo menos doloroso:

 

1. “Explique o que é saudade, e que é natural a gente sentir falta de alguém que gostamos quando estamos longe”, diz.

 

2. “Demonstre confiança no cuidador que ficará com a criança, explique que você sabe que ele ficará bem cuidado e que você só está indo viajar porque existe essa confiança”, recomenda Juliana.

 

3. “Procure não aliviar sua culpa trazendo grandes presentes, mas é recomendado sim, trazer algo significativo de sua viagem, como um brinquedo típico local ou algum alimento que seja permitido para a idade da criança”.

 

4. “Deixe fotos suas para que a criança possa sentir-se acompanhada por você”, segundo a especialista, interações por vídeo sempre que puder são importantes também.

 

A viagem pode ser profissional ou a passeio, e certamente será muito mais prazerosa se você souber que seu filho está bem. Por isso, prepare a criança para este momento e boa viagem!

 

 

Fonte: Revista Na Mochila.

Please reload