© por Instituto Noa. Todos os direitos reservados.

Acesse, curta e compartilhe

Instituto Noa

Whats: (15)  99129-4846

contato@institutonoa.org.br

Al. Santos, 1165 - São Paulo - SP

Certificado Selo Social 2015
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black YouTube Icon
  • Instagram

Obesidade cresce entre os brasileiros, aponta pesquisa

 

 

De acordo com dados do Ministério da Saúde, 1 em cada 5 pessoas são obesas no País; especialistas alertam que má alimentação e sedentarismo contribuem para excesso de peso

 

 

 

Dados divulgados em abril pelo Ministério da Saúde apontam que o a obesidade cresceu entre os brasileiros. De acordo com a pesquisa que entrevistou 53,2 mil habitantes maiores de 18 anos em todas as capitais, a obesidade cresceu 7,1% nos últimos dez anos. Em 2006, a população obesa representava 11,8% e em 2016 esse número subiu para 18,9%. Atualmente, um em cada cinco brasileiros são atingidos pela obesidade.

 

 

Além disso, o excesso de peso também cresceu 26,3% no mesmo período. Em 2006, o índice era de 42,6%, já em 2016 foi para 53,8%. A obesidade e excesso de peso são calculados com base no Índice de Massa Corporal (IMC). De acordo com o IMC, pessoas acima do peso são as que possuem índice igual ou maior que 25 e as que têm mais de 30 kg/m² são classificadas como obesas.

 

 

Para o nutricionista Iraci Sabino, a má alimentação e a falta de atividades físicas são os principais fatores que contribuem para o aumento de peso e obesidade. A especialista ressalta que esses hábitos estão cada vez mais presentes em crianças e alerta os pais para os cuidados necessários diante deste cenário.

 

 

“É cada vez mais comum crianças com quadro de hipertensão, diabetes de tipo 2 (que é adquirida), taxas de colesterol e triglicerídeos elevados. Tudo isso se deve a má alimentação, na maior parte das vezes. Daqui dez anos, se não forem cuidadas, essas crianças serão adultos com problemas de saúde sérios e até irreversíveis”, afirma.

 

 

Mesmo com os altos índices de obesidade e excesso de peso, a pesquisa do Ministério da Saúde também identifica uma melhora gradual nos hábitos brasileiros, como a diminuição do consumo de refrigerante, que passou de 30,9% para 16,5%, e o aumento de atividade física, já que a porcentagem de pessoas que praticam exercícios passou de 30,3% para 37,6%.

Please reload