© por Instituto Noa. Todos os direitos reservados.

Acesse, curta e compartilhe

Instituto Noa

Whats: (15)  99129-4846

contato@institutonoa.org.br

Al. Santos, 1165 - São Paulo - SP

Certificado Selo Social 2015
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black YouTube Icon
  • Instagram

Mais da metade dos brasileiros está com o peso acima do ideal

 

 

Atualmente no Brasil, mais de 51% da população está acima do peso ou obesa, e entre as crianças, esse número é alarmante: aproximadamente 15% já apresenta quadros de sobrepeso e obesidade, e está mais propensa a desenvolver doenças associadas, como problemas cardiovasculares e diabetes tipo 2, por exemplo, segundo dados da pesquisa VIGITEL, do DATASUS.

 

A obesidade se posiciona atualmente com um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. Segundo previsões da Organização Mundial da Saúde (OMS), no ano de 2025, mais de 700 milhões de pessoas estarão obesas, e aproximadamente 2,3 bilhões de apresentem quadros de sobrepeso.

 

Com o compromisso de reduzir a expansão dessa epidemia, o governo brasileiro assumiu recentemente algumas medidas: adotar políticas de saúde pública e segurança alimentar e nutricional, reduzir o consumo de refrigerantes e sucos artificiais e incentivar e ampliar o consumo de frutas e hortaliças pela população adulta.

 

Cirurgia Bariátrica – Entre os atuais tratamentos médicos para reverter quadros de obesidade, a  cirurgia bariátrica é uma opção considerada segura para a redução de peso e o tratamento de doenças associadas à obesidade. O Brasil é o segundo país em número de cirurgias bariátricas realizadas no mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

 

Segundo o Dr. Enrico Fonseca, cirurgião bariátrico, o tratamento deve começar antes da indicação cirúrgica. “A primeira coisa a fazer é procurar um médico endocrinologista, um nutricionista e um educador físico para iniciar o tratamento clínico da obesidade e das doenças associadas”, explica. Caso a abordagem clínica não tenha resultados muito satisfatórios, a indicação para a cirurgia entra em pauta.

 

Fonte: Dr. Enrico Fonseca - Hospital viValle
Foto: Dreamstime

Please reload