© por Instituto Noa. Todos os direitos reservados.

Acesse, curta e compartilhe

Instituto Noa

Whats: (15)  99129-4846

contato@institutonoa.org.br

Al. Santos, 1165 - São Paulo - SP

Certificado Selo Social 2015
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black YouTube Icon
  • Instagram

Língua presa: Descubra como reconhecer se a criança tem esse problema

 

Não é raro encontrar crianças menores de três anos que não conseguem pronunciar corretamente todas as palavras. Isso porque o aprendizado da fala começa muito cedo, já que a criança imita quem a cerca e, dependendo do estímulo que recebe dos pais ou cuidadores, pode se desenvolver mais rápida ou mias lentamente. Um dos problemas mais comuns na fala é popularmente chamado de língua presa, embora essa nem sempre seja uma definição correta. Isso acontece quando a criança tem dificuldade em articular alguns fonemas, mesmo tendo o frênulo da língua (membrana que liga a língua ao assoalho da boca) normal.

 

Ela precisa ser incentivada a falar e, nesse momento, é importante que os adultos pronunciem as palavras corretamente, e não de maneira infantilizada. Se os pais tiverem alguma dúvida sobre o desenvolvimento da criança, o primeiro passo é procurar o pediatra. Somente depois de um diagnóstico é que o médico encaminhará a criança a um especialista, caso haja necessidade.

 

Segundo a fonoaudióloga Ana Maria de Oliveira, quando o freio da língua é muito curto, pode trazer dificuldades á criança antes mesmo da fala. " No bebê, alterações do frênulo podem alterar a amamentação (sucção) e posteriormente a mastigação. Pode ser um dos fatores para alterações na arcada dentária, levando a língua a um mau posicionamento dentro da boca, além de interferir no crescimento craniofacial.

 

O fonoaudiólogo deve ser procurado já nesse momento, pois poderá orientar a mãe durante o aleitamento, propiciando padrões corretos de amamentação e, consequentemente, adequando essas funções". Portanto, quando os pais percebem que o bebê não está ganhando peso como deveria, devem procurar o pediatra e pedir orientação.

 

Fonte: Ana Maria Domingues de Oliveira Belleza, é fonoaudióloga, especialista em motricidade orofacial.

 

Este conteúdo é publicado na revista NA MOCHILA e compartilhado pelo Programa Escolas do Bem, do Instituto Noa.

Please reload